semptur feed

SEMTUR

Secretaria Municipal de Turismo

Avenida da Paz, 1422, Centro
CEP 57020-440 // Fone: (82) 3336-4409

Seminário debate economia do turismo em Maceió

Jair Galvão, Alexandre Garrido, Ítalo Mendes e Danielle Novis no painel "Turismo e Desenvolvimento Local". Foto: Semtur

Jair Galvão, Alexandre Garrido, Ítalo Mendes e Danielle Novis no painel “Turismo e Desenvolvimento Local”. Foto: Semtur

A Associação Comercial de Maceió, no bairro do Jaraguá, foi palco nesta quinta-feira (30) do painel “Turismo e Desenvolvimento Local”, mais um evento do “Seminário de Desenvolvimento Econômico da Cidade: Maceió e suas perspectivas”, uma realização da Prefeitura de Maceió com o objetivo de discutir políticas públicas que permitam o maior nível de desenvolvimento socioeconômico do município.

O secretário municipal de Turismo, Jair Galvão, foi responsável por mediar o evento e abrir as discussões sobre o turismo na capital alagoana, sendo acompanhado nos debates por Ítalo Oliveira Mendes, representante do Ministério do Turismo na Rede de Inovação no Setor Público, Danielle Novis, superintendente do Maceió Convention & Visitors Bureau (MC&VB) e Alexandre Garrido, coordenador do grupo de trabalho da ISO sobre turismo sustentável.

Galvão começou as discussões apontando o crescimento do turismo no município, e também como o setor se fortalece como uma das principais fontes de emprego e renda mundialmente. “Este ano vamos ultrapassar a marca de dois milhões de passageiros no Aeroporto Zumbi dos Palmares. Além disso, Maceió é uma das capitais que mais constroem hotéis no Brasil, e por isso mesmo precisamos discutir o turismo como um vetor de desenvolvimento econômico, já que hoje ele representa 10% da atividade econômica mundial”, apontou o secretário.

Ítalo Mendes foi o próximo convidado a assumir o debate, falando sobre a importância de investir no turismo de forma estratégica. “O setor é responsável por movimentar R$ 182 milhões na economia brasileira, com 200 milhões de viagens realizadas por ano, e por isso é necessária uma política intensiva de investimentos, assim como acontece com o agronegócio brasileiro”, afirmou Mendes. “É importante também pensar que o turismo é um setor que gera uma quantidade enorme de empregos. À medida que a indústria e o agronegócio diminuem a quantidade de postos de trabalho por conta da automatização e mecanização, o turismo faz justamente o oposto, além de ser um mercado muito democrático, abrigando todos os níveis de escolaridade e idade”, completou.

Jair Galvão e Alexandre Garrido. Foto: Semtur

Jair Galvão e Alexandre Garrido. Foto: Semtur

O debate foi seguido por Alexandre Garrido, que levantou questões sobre o turismo sustentável. “O turismo é o negócio da felicidade. As pessoas investem dinheiro e emoções para viver experiências, e ano a ano o turista está ficando cada vez mais consciente, usando os recursos naturais de maneira ambientalmente responsável, socialmente justa e economicamente viável”, explicou. “2017 foi declarado pela ONU como o ano do turismo sustentável. Isso chama atenção para o assunto e nos faz pensar nas ações que podemos fazer em Maceió para alertar o turista para o tema”, completou.

Garrido também apresentou os sete princípios do turismo sustentável: respeitar a legislação vigente, garantir os direitos da população local, conservar o ambiente natural e a biodiversidade, considerar o patrimônio cultural e valores locais, estimular o desenvolvimento social e econômico dos destinos turísticos, garantir a qualidade dos produtos, processos e atitudes e estabelecer o planejamento e gestão responsável.

Encerramento do

Encerramento do painel “Turismo e Desenvolvimento Local”. Foto: Semtur

Danielle Novis foi a última convidada a tomar a palavra e abordou o turismo de negócios e eventos em Alagoas. “O setor teve um crescimento de 400% na última década no Brasil, por isso, é necessário olhar com atenção para esse mercado. Se somarmos todos os empregos gerados pelo turismo apenas de forma direta no nosso estado, o setor gera mais impostos do que qualquer outra atividade em Alagoas”, explicou. “Temos hoje em Alagoas uma mudança nos mercados geradores de renda e emprego. Se antes o estado tinha como grande fonte a monocultura da cana de açúcar, hoje vemos que o caminho para driblar a crise gerada pela queda desse setor é o investimento no setor do turismo, o maior mercado de prestação de serviços de Alagoas”, completou Novis.

A palestrante ainda falou sobre o grande fluxo de turistas gerado pelo setor de eventos. “Por conta de congressos, shows, eventos esportivos e grandes festas de réveillon, por exemplo, nosso estado vai receber até o fim deste ano cerca de 100 mil turistas, número maior do que o da segunda mais importante operadora de turismo do Brasil, que será responsável por trazer 22 mil turistas para Alagoas”, afirmou.

O evento terminou com uma rodada de perguntas aos palestrantes, que puderam esclarecer dúvidas e aprofundar as discussões sobre alguns temas abordados durante o evento.

Maria Gabriela Lyra / Ascom Semtur

bg azul