feed

SEMAS

Secretaria Municipal de Assistência Social

Avenida Comendador Leão, 1.383, Poço.
CEP 57025-000 // Telefone: (82) 3315-7378

Entrega de Selo celebra 70 anos da Declaração dos Direitos Humanos

Em Maceió, para celebrar as sete décadas da Declaração Universal dos Direitos Humanos, adotada e proclamada pela Assembléia Geral das Nações Unidas (resolução 217 A III), o vice-prefeito Marcelo Palmeira e a secretária Municipal de Assistência Social, Celiany Rocha, entregaram na manhã desta segunda-feira (10), o Selo de Direitos Humanos Edição 2018 a pessoas que contribuem para a consolidação dos Direitos Humanos na capital. O evento aconteceu na sede da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), no Poço.

Padre Manoel Henrique recebe, das mãos do vice-prefeito Marcelo Palmeira, o  Selo de Direitos Humanos 
Foto: Marco Antonio/Secom Maceió 

De acordo com o artigo primeiro da Declaração Universal dos Direitos Humanos, todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e direitos. São dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade. O documento tem 70 anos e ainda precisa ser defendido diariamente.

“É um dia de reconhecimento a quem dedica parte da sua vida para cuidar das pessoas. Um ofício que, em primeiro momento, seria do poder público, mas o poder público sem a sociedade envolvida faz muito pouco. Com essas pessoas podemos levar cidadania e direitos humanos para os maceioenses. A prova maior disso é termos uma secretaria estruturada para poder, junto com esses parceiros, desenvolver o trabalho”, disse Marcelo Palmeira.

Gestora da Semas, Celiany Rocha, a vereadora tereza Nelma e o vice-prefeito Marcelo Palmeira durante entrega do Selo de Direitos Humanos 2018. Foto:Marco Antonio/Secom Maceió 

Para a secretária de Assistência Social, Celyane Rocha, a homenagem destaca o empenho da sociedade e reforça a necessidade do trabalho contínuo. “Na secretaria temos a ligação dos Direitos Humanos e a Assistência Social. Por isso pensamos numa forma de homenagear, com o Selo, aqueles que trabalham em Maceió em prol dos Direitos Humanos. Buscamos simbolizar, nas pessoas selecionadas, a importância que Maceió dá a essas questões. Os artigos estão estampados em diversas secretarias, pois queremos que a população conheça a Declaração”, ressaltou a gestora.

Ao todo, 16 pessoas que defendem os direitos humanos nas categorias Criança e Adolescente (Maria Lúcia Fátima Barbosa Pirauá e Ubirajara Ramos), Juventude (Rodrigo Cunha e padre Tito Régis Rodrigues da Silva), Pessoa Idosa (Pe. Manoel Henrique de Melo Santana), Pessoa com Deficiência (vereadora Tereza Nelma da Silva Porto Viana Soares e Walkíria Lúcio Lins Araújo), Mulher (Dra. Elaine Cristina Pimentel Costa e Stella Valéria Cavalcanti Soares de Farias Cavalcante), Pessoa em Situação de Rua (Adriana Vilela Toledo e  Jeane Célia Medeiro Cavalcante de Castro Souza), LGBT (Wlademir Paes de Lira e Natasha Wanderful da Silva) e Igualdade Racial (Hélcias Roberto Paulino Pereira e Profª Ângela Maria Benedita Bahia de Brito) foram homenageadas. Entre elas, estão entidades e representantes da sociedade civil que se destacaram ao longo do ano pela garantia de direitos de cada uma dessas áreas.

Juíza Fátima Pirauá recebeu o Selo de Direitos Humanos 2018. Foto:Marco Antonio/Secom Maceió 

A juíza Fátima Pirauá, titular da Vara da Infância e da Juventude, foi uma das homenageadas. “O Selo dá visibilidade e entendimento de que precisamos respeitar e cuidar dos direitos humanos de todos. Especificamente na minha área, que é da infância e juventude, que é prioridade absoluta,  precisamos garantir o respeito a dignidade da pessoa humana. Esse evento chegou numa hora muito propícia para reforçamos essa necessidade de todos os seres humanos respeitarem uns aos outros. A solidariedade é um dever moral de cada um de nós. Mas, no caso de pessoas em vulnerabilidade, é preciso respeitar ainda mais os direitos humanos dessas pessoas”, disse.

Durante a solenidade, a Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) recebeu uma placa em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Sarah Mendes e Flávia Farias/Secom Maceió

 

bg azul