feed

SEMAS

Secretaria Municipal de Assistência Social

Avenida Comendador Leão, 1.383, Poço.
CEP 57025-000 // Telefone: (82) 3315-7378

Projeto de Capoeira para idosas quebra preconceitos

Vindo de uma iniciativa que tinha como foco a população em situação de rua, o Projeto Vem que tem balanço, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), fez sucesso e se tornou uma atividade fixa para o grupo de idosas do Centro de Referência de Assistência Social (Cras) Pintanguinha. Elas vencem preconceitos e se exercitam regulamente.

O projeto conta com aulas de Capoeira para as idosas, que também aprendem sobre questões culturais como sua história e seu objetivo. Nessa sexta-feira (20), o grupo de 35 mulheres, de 40 a 82 anos,  participou da primeira cerimônia de batismo do projeto, que teve a troca de cordas, ritual que simboliza que o grupo já está pronto e apto para aprender ainda mais sobre essa representação cultural. Os patronos da turma foram o Mestre Cláudio, capoeirista desde 1967, e o Mestre Jacaré, capoeirista desde 1970.

O grupo de novas capoeiristas é formado por 35 mulheres, de 40 a 82 anos. Foto:Ascom Semas

O professor Ivanildo Antônio, conhecido como Mestre Besourão, explicou que a Capoeira ensinada para o grupo é adaptada, mas que mesmo assim engloba todos os seus principais fundamentos. “Eu pego um apanhado dos elementos culturais, trabalho a musicalidade, a produção de instrumentos. Tudo dentro do contexto da própria Capoeira, que permite essas aberturas. A prática para elas é adaptada e inclusiva, com movimentos que elas consigam realizar”, explicou.

O Mestre também falou sobre os preconceitos que teve que enfrentar para manter o Projeto. “Eu tive muitas resistências de familiares, delas mesmas com a própria idade e também sofri com o preconceito religioso, que está enraizado na nossa história desde a escravidão. Fizemos muitas rodas de conversa, trouxemos pessoas de diferentes religiões para falar sobre a Capoeira e dessa forma conseguimos vencer essas barreiras. Esse também é um dos objetivos dessa prática: abrir o leque de informações”, disse.

Momento da troca de cordas. Foto: Ascom Semas

Segundo Josemeire Alves, de 52 anos, participar do projeto mudou sua vida. “Só de estar aqui, interagindo, conhecendo melhor as outras idosas, sorrindo e sem preocupações já é uma mudança gigante no meu dia. Além disso, agora consigo fazer coisas básicas que antes não conseguia, como abaixar e esticar bem as pernas. Não  tenho mais dores e me sinto mais jovem e menos ociosa depois que comecei a participar”, relatou.

Segundo a coordenadora do Centro, Gal Souza, a iniciativa envolve toda a comunidade. “Para esse público específico foi muito difícil no começo, mas foi um passo importante por que toda a comunidade se envolveu. De certa forma, todos aqui aprenderam e tiveram acesso a esses bens culturais. As aulas ocorrem dentro do Cras, mas atingem também quem está fora dele”, destacou.

Durante a cerimônia de batismo  também aconteceram as apresentações culturais do Grupo de Maculelê As Formosas, formado pelo grupo de mulheres do Cras Pitanguinha e roda de capoeira dos mestres com seus convidados. As novas capoeiristas do SCVF do Cras Pitanguinha também se apresentaram mostrando muita desenvoltura e habilidade.

Mestre Besourão à direita com suas alunas. Foto: Ascom Semas

De acordo com a diretora de Proteção Social Básica da Semas, Denaide Oliveira, esse dia é simbólico porque elas se se tornaram referência na comunidade. “Parabéns ao professor Ivanildo por fazê-las se sentirem capazes. O sonho dele se tornou o sonho do nosso grupo de idosas. Elas nos inspiram a ultrapassar qualquer  limite e a superar qualquer dificuldade. São mulheres guerreiras que se transformaram em capoeiristas”, disse.

Para o vice-prefeito e secretário de Assistência Social de Maceió, Marcelo Palmeira, é fundamental a inclusão social dos idosos. “Além de melhorar a qualidade de vida deles, esse projeto proporciona novas descobertas para um público que geralmente acha impossível aprender  coisas novas . É muito bom ver a vitalidade dos idosos maceioenses atendidos nas unidades da Semas. Parabenizamos o excelente trabalho realizado pela equipe do Cras Pitanguinha para garantir os direitos dos nossos usuários idosos”, destacou.

Todas estavam muito felizes com a conquista. Foto: Ascom Semas

O Cras Pitanguinha tem vários grupos de Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) e as atividades beneficiam crianças, adolescentes, idosos e mulheres. O equipamento funciona diariamente, nos períodos da manhã e da tarde, e está localizado na Rua Cônego Tobias, s/n, no bairro da Pitanguinha.

Ao todo, a Semas conta com 15 Centros espalhados pelas áreas maior vulnerabilidade da cidade de Maceió, além de outros equipamentos.

Lisa Gabriela (estagiária)/ Ascom Semas

bg azul