feed

SMS

Secretaria Municipal de Saúde

Rua Dias Cabral, 569 - Centro
CEP 57020-250 // Fone: 82 3312-5400
Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 14h.

Servidores da Semas são capacitados para identificar deficiências

A Gerência de Atenção à Pessoa com Deficiência (GAPD) da SMS, realizou na manhã desta terça-feira (11), no auditório do Conselho Regional de Psicologia, no Farol, uma capacitação para visitadores e apoiadores da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) que atuarão no Programa Primeira Infância Cidadã. O treinamento contou com a participação das instituições que prestam serviços às pessoas com deficiência no município e teve como objetivo capacitar os profissionais da Semas para identificar crianças portadoras de deficiência e dar os encaminhamentos necessários a cada caso.

Visitadores e apoiadores da Semas participam de capacitação. Foto: Ascom/SMS

Paulo Ricardo da Silva, fisioterapeuta e técnico do GAPD, destaca que a SMS trouxe um profissional de cada Centro Especializado em Reabilitação (CER) para explicar para os visitadores e apoiadores da Semas os tipos de deficiência e como proceder em cada caso. “Nosso objetivo é fazer com eles saibam diferenciar essas situações junto às crianças de 0 a 6 anos durante as visitas domiciliares, verificando se elas apresentam algum tipo de limitação, se fazem algum tratamento e caso não façam que encaminham para uma unidade de saúde próxima à sua residência ou mesmo para um CERs para que possam receber o tratamento adequado”, explica.

Paulo Ricardo da Silva, Fisioterapeuta e técnico do GAPD da SMS. Foto: Ascom/SMS

O profissional apresentou ainda para os presentes o fluxo atual da Rede de Atendimento à Pessoa com Deficiência no município, dando destaque aos pontos de atenção na Atenção Básica, Hospitalares e a interface entre as Redes de Atenção Psicossocial, Urgência e Emergência, Doenças Crônicas e Rede Cegonha.

Sorridef

Durante a capacitação foi apresentado também o Projeto Sorridef, que promove ações de promoção e prevenção à saúde bucal a pessoas com deficiência nas unidades de saúde e Centros Especializados em Reabilitação (CERs).

Durante as ações do projeto, fazemos escovação, aplicação tópica de flúor, classificação de risco e encaminhamentos desses pacientes. Muitos profissionais relatavam que a grande dificuldade de atender a esses pacientes era por não saber como fazer, então para isso fizemos o 1º Meeting em Atendimento à Pessoa com Deficiência, onde capacitamos esses profissionais sobre protocolos e condutas clínicas junto a esses pacientes”, explica Priscila Gusmão, dentista e técnica do GAPD da SMS.

Priscila Gusmão, dentista e técnica do GAPD. Foto: Ascom/SMS

Nesse primeiro dia, 50 visitadores do projeto participaram da capacitação, que além de apresentar o fluxo de atendimento às pessoas com deficiência e o Projeto Sorridef também trouxeram palestras sobre “Deficiência Auditiva”, com profissionais da Adefal e “Deficiência Visual”, pela Apae Audiovisual, em parceria com a Pestalozzi.

Continuidade das ações

Na quarta (12), o evento terá continuidade com a apresentação das temáticas “Deficiência Física”, que será realizada por uma representante do Centro Especializado em Reabilitação (CER) III, do PAM Salgadinho; “Deficiência Intelectual”, por profissional da Crescer e da AAPPE; e “Autismo”, cuja explanação será feita por profissionais da Apae Maceió (Cuida) e Pestalozzi.

Programa Criança Feliz

O Programa Criança Feliz é uma iniciativa do Governo Federal criado em 2016 para ampliar a rede de atenção e o cuidado integral das crianças na primeira infância, considerando sua família e seu contexto de vida. O Programa se desenvolve por meio de visitas domiciliares com a finalidade de promover o desenvolvimento integral das crianças na primeira infância, buscando envolver ações de saúde, educação, assistência social, cultura e direitos humanos.

O público-alvo do programa são gestantes, crianças de até 03 anos e suas famílias beneficiárias do Bolsa Família, crianças de até 06 anos beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC) e suas famílias, e crianças de até 06 anos afastadas do convívio familiar em razão da aplicação de medida de proteção prevista no Artigo 101 da Lei nº 8.609, de 13 de julho de 1990 e suas famílias.

Ana Cecília da Silva – Ascom/SMS

bg azul