feed

SEMED

Secretaria Municipal de Educação

Rua General Hermes, 1199 - Cambona
CEP 57017-201 // Fone: (82) 3312-5608
Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 14h.

Maceió reduz distorção idade-série em escolas municipais

Programas Se liga e Acelera tem conseguido reduzir a defasagem de alunos e alcançam números positivos

Número caiu de 7.346 alunos, em 2018, para 3.493, em 2019. Foto: Secom Maceió.

A Prefeitura de Maceió, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semed) vem conseguindo reduzir a distorção idade/série. O número caiu de 7.346 alunos identificados na rede, em 2018, para 3.493, em 2019. Uma redução de mais da metade da taxa de estudantes com distorção.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a distorção em Maceió, que era de 33,3% em 2015, caiu para 27% em 2019. O trabalho é realizado em parceria com o Instituto Ayrton Senna, que contabiliza números positivos demostrando uma redução significativa na taxa de defasagem na capital.

A meta, segundo a coordenadora municipal do Instituto Ayrton Senna, Paula Panar, é conseguir reduzir cada vez mais os números nos próximos anos. Para isso, a rede tem aumentando o número de escolas com adesão ao programa. Em 2015, o programa teve início em 18 escolas, hoje já somam 72 unidades escolares aumentando três vezes mais o número de escolas contempladas.

A coordenadora reforça que vem percebendo uma melhora nos resultados. “Em 2018, com o programa Se Liga, alfabetizamos 81,5% dos alunos, e mudaram de série 80,6%. Já no Acelera 46,8% dos estudantes deram um salto a partir da série em que estavam, ou seja, um aluno do 3º ano foi para o 5º ou 6º ano. Observamos ainda que 93,7% de alunos seguiram ir para as séries seguintes, quem era 3º foi para 4º, por exemplo”, afirma.

Paula explica que apesar de poucas escolas ainda não terem concluído o ano letivo de 2019 é possível constatar bons resultados. “No Se Liga, 90,2% foram alfabetizados e 88,9% foram avançados. No Acelera, 51,9% foram adiantados e 96,1% pularam séries.

Para ela, os resultados positivos se devem a todos que estão envolvidos no processo. “Esse resultado se deve a todos os professores, mediadores, coordenadores, diretores, a equipe que coordena o programa em Maceió, o prefeito e secretária Ana Dayse, que vem apoiando a execução dos programas com foco nos estudantes da rede”, concluiu.

Wesllayne Silva, ex-aluna da escola professor Petrônio Viana, localizada no Benedito Bentes, é parte desta estatística. Wedjane Gomes, mãe da ex-aluna, fala emocionada sobre o projeto e a importância do programa na vida da estudante. “Gostei muito do programa Acelera, graças ao projeto ela já sabe ler, escrever e mudou completamente o hábito escolar. Estou muito feliz tanto pela iniciativa da professora Rosemeire quanto por parceria”, comenta a mãe, destacando uma das professoras do projeto.

Professora Rosemeire entre Wedjane Gomes, mãe, e a aluna Wesllayne. Foto: Ascom Semed.

Lembrada por pais e alunos por sua participação nos projetos, a professora Rosemeire Silveira possui uma bagagem longa como educadora. Ela tem 41 anos de profissão e vem atuando há 4 anos no Acelera. A professora se diz realizada com a possibilidade de trabalhar com a metodologia que busca a correção do fluxo escolar.

Segundo Rosemeire, as turmas fazem parte de aulas didáticas multidisciplinares. Ela conta que a metodologia se baseia no utilização de livros que estudantes usam para a correção da distorção. A ideia é que, com a prática, os estudantes consigam absorver o conteúdo dos anos seguintes. “Eles passam por provas diárias e usam 30 livros de literatura infanto-juvenil até o fim do curso. Quando terminam, se sentem recompensados”, citou.

“Nós tivemos um interesse de forma espetacular por parte dos alunos. O projeto os estimulam a se aprimorar e buscar a correção da distorção. A forma de ensino é sensacional e trabalha com muita interdisciplinaridade, posso misturar matemática com ciências, por exemplo. Me deu liberdade de ministrar as aulas de acordo com a necessidade de cada um”, concluiu.

Feliz pelos resultados que o Se liga e o Acelera vêm proporcionando, a diretora da Escola Professor Petrônio Viana, Maria de Fátima Cavalcante, fala da iniciativa dos programas na escola. “Buscamos trazer o desenvolvimento educacional dos alunos com segurança, de forma que eles se sintam donos do saber. Os alunos recebem elogios de várias redes e vêm reduzindo a distorção cada vez mais, a ponto de só estarmos com apenas 10% aqui na escola.”, ressaltou a diretora.

Vice diretora, professora e diretora da escola Petrônio Viana, contemplada com os programas

Se liga e Acelera

Como um programa de alfabetização, o Se liga tem como objetivo correção de alunos em estado de defasagem idade/série. O objetivo do projeto tem como a adequação das habilidades dos alunos que se encontram entre o 3º e 5º ano, mas que precisam recuperar o atraso e desenvolver a escrita e a leitura.

O Acelera busca corrigir a distorção idade/série entre o 3º e o 5º ano, porém serão incluídos alunos do 1º e 2º ano com 2 anos ou mais em distorção para o ano de 2020. A intenção é reaver o tempo perdido dando a possibilidade dos alunos que concluírem conseguirem avançar em até dois anos escolares.

Nathan Araujo (estagiário) Ascom/Semed

bg azul