feed

SEMELJ

Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer

Sede administrativa: Rua Sá e Albuquerque, Jaraguá, Nº 235 -
CEP: 57022-180 // Fone: (82) 3312-5800 | Vila Olímpica: Av. Alice Karoline, 43, Cidade Universitária. Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 14h.

Viva Vôlei: projeto contribui na formação de jovens em Maceió

Viva Vôlei tem crescido na capital e qualificado colaboradores para atender pessoas com deficiência

Uma das modalidades esportivas mais populares no Brasil, o voleibol tem papel fundamental na formação de crianças e adolescentes na capital alagoana. Com direcionamento educacional e inclusivo, a Prefeitura de Maceió, por meio da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer (Semtel), coordena o Projeto Viva Vôlei, da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), que já contemplou cerca de 200 alunos da rede municipal e estadual de ensino.

Projeto Viva Vôlei atende crianças e adolescentes no Complexo Lourenço Vasconcelos, no Trapiche. Foto: Ascom Semtel

Em homenagem ao Dia Nacional do Vôlei, comemorado no último sábado (27), o projeto celebra a expansão e o fortalecimento das ações na capital, que visam benefícios à saúde e a inclusão social por meio do esporte. No Complexo Lourendo Vasconcelos, no Trapiche da Barra, o Viva Vôlei atende cerca de 34 crianças e adolescentes, todos de baixa renda e em situação de vulnerabilidade social, que encontram no projeto uma oportunidade de desenvolver atividades no contraturno escolar.

“O vôlei tem incentivado e motivado as crianças de Maceió. A modalidade é extremamente importante para o desenvolvimento físico, mental e cognitivo de quem participa. Este é o nosso objetivo, como agenda fixa da Prefeitura de Maceió, levar a prática do esporte e atividades físicas aos maceioenses desde a infância”, disse o titular da Semtel, Jair Galvão.

De acordo com a coordenadora do Viva Vôlei – Núcleo Maceió, Maria Cícera de Oliveira, o projeto promove, além da qualidade de vida, importantes lições de cidadania, solidariedade e espírito de equipe. “Levamos para os alunos a interação com o semelhante, o respeito às diferenças e às limitações de cada um. No vôlei você não faz nada sozinho, precisa da colaboração do parceiro. Como trabalhamos os primeiros fundamentos do esporte para as crianças, elas tratam como uma brincadeira, mas os valores passados permanecem”, disse a técnica da Semtel.

Expansão

A Prefeitura tem se esforçado para melhorar a qualidade na oferta do serviço e garantir que o projeto volte ainda mais forte após o período de isolamento social. Em maio, colaboradores e instrutores da Semtel concluíram um curso remoto oferecido pela CBV, para que o projeto esteja apto a atender crianças com algum tipo de deficiência e ainda mais preparado para a promoção da inclusão por meio da prática recreativa do voleibol no retorno das atividades.

“Estes cursos de qualificação nos dá ferramentas para que possamos trabalhar melhor as habilidades oferecidas no Viva Vôlei. O projeto tem se preparado para poder se expandir por Maceió e incluir ainda mais crianças e adolescentes, não apenas os que vivem em vulnerabilidade social, mas também os que apresentam alguma deficiência”, concluiu a coordenadora Maria Cícera.

Em Maceió, meninos e meninas de 8 a 14 anos participam de aulas de iniciação ao voleibol no Complexo Lourenço Vasconcelos, no Trapiche da Barra, sede administrada pela Prefeitura de Maceió. As aulas do Viva Vôlei são gratuitas e a única condição é que a criança esteja matriculada e frequentando regularmente as aulas.

Maurício Manoel (estagiário) / Ascom Semtel

bg azul