feed

SEMED

Secretaria Municipal de Educação

Rua General Hermes, 1199 - Cambona
CEP 57017-201 // Fone: (82) 3312-5608
Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 14h.

Escola desenvolve podcast como atividade pedagógica para ensino religioso

Dinâmica proposta visa exercitar as habilidades relacionadas à leitura e à comunicação

O estudo da fé, através da compreensão da pluralidade de crenças religiosas, é um elemento imprescindível para a manutenção do respeito à diversidade na sociedade contemporânea. Dentro desse contexto, o professor responsável pela disciplina de ensino religioso, Dilson Costa, da Escola Silvestre Péricles, localizada no bairro do Pontal da Barra, idealizou o projeto “Divino Cast” destinado às turmas do 6º ao 9º ano do fundamental.

Com o propósito de utilizar as novas tecnologias para dinamizar as práticas de aprendizagem em sala de aula, ele conta que a ideia surgiu após a sua participação no projeto Rádio Escola. “O desafio é não ficar preso às atividades de leitura e escrita de resumos, e utilizar o celular para gravar e enviar o conteúdo estudado”, explica.

Projeto foi idealizado com o propósito de utilizar as novas tecnologias para dinamizar as práticas de aprendizagem em sala de aula. Foto: Caio Roque / Ascom Semed

De acordo com o professor, a dinâmica proposta pelo projeto garante o exercício das habilidades relacionadas à leitura e à comunicação, e já começa a partir dos temas abordados em aula, que logo são complementados através de textos e vídeos, e então revisitados nos processos de pesquisa e gravação dos áudios elaborados pelos próprios alunos, que seguem um guia de apoio de como se apresentarem no podcast.

Tatiana dos Santos, do 6º ano, que gravou o episódio sobre religiões indígenas, conta que pôde trabalhar sua concentração através da atividade. “Foi um pouco difícil no início, tinha que ler e ver os vídeos, mas depois eu fui entendendo até que ficou mais tranquilo”, comenta.

De acordo com o professor, a dinâmica proposta pelo projeto garante o exercício das habilidades relacionadas à leitura e à comunicação, e já começa a partir dos temas abordados em aula. Foto: Arquivo Pessoal

É o que conta Carlos Henrique dos Santos Silva, de 13 anos, que foi responsável por falar sobre o judaísmo em um dos primeiros episódios. “Foi uma experiência muito boa, é uma coisa que nunca tinha feito na escola e quando o professor citou isso nas aulas, eu achei muito legal a ideia de poder falar das religiões para entender melhor os assuntos”, ele relata.

Logo, pautado nos princípios presentes na Base Nacional Comum Curricular (BNCC), que estabelece a função do Ensino Religioso como a disciplina responsável por assegurar e propiciar conhecimentos sobre o direito à liberdade de consciência e de crença, o material trabalhado tanto na disciplina, quanto no projeto, carrega consigo o teor de conscientização a respeito das diferentes práticas religiosas como: o judaísmo, o budismo, o islamismo, as religiões africanas e as religiões de matrizes indígenas.

Imagem de apresentação do guia para gravação do podcast. Foto: Arquivo Pessoal

Para o professor, essa dinâmica aplicada contribui também para uma formação mais consciente e crítica dos alunos, pois trabalha de forma ativa as discussões sobre a importância do respeito às diferenças culturais. “Quando a gente trabalha essa questão do respeito à diversidade religiosa, na linha do ensino, do estudo, e não para a gente ser a favor ou contra, isso traz para os estudantes essa percepção de que cada um tem a sua convicção”, frisa ele, que continua: “Inclusive, traz a questão de quem não tem religião, quem é ateu ou agnóstico, para entender que existem pessoas que se retraem a discutir essas questões, que não querem debater sobre isso. Ou então, que não acreditam na existência de uma divindade. Ou seja, é muito interessante para a gente perceber que também precisamos respeitar não só os que têm crenças religiosas diferentes, mas os que também não acreditam” conclui.

O podcast é publicado através do site Anchor, que redistribui os episódios para as demais plataformas de streaming de áudio, como o Spotify.

Caio Roque (estagiário) / Ascom Semed

bg azul