Página Inicial

Ações e projetos – Fmac 2016

PAUTA ABERTA

O projeto beneficiou 30 grupos culturais e artistas ligados à música, teatro, dança, cultura popular e cultura afro selecionados por meio de edital para utilização de vagas no Centro Cultural Arte Pajuçara entre julho e dezembro de 2016, perfazendo um total de 480 horas de ocupação do espaço para concertos, shows, ensaios, oficinas, recitais, espetáculos, apresentações de folguedos.


MACEIÓ VERÃO 2016

Durante quatro semanas – do mês de janeiro – o Maceió Verão reuniu na orla de Pajuçara o melhor da música contemporânea brasileira em shows gratuitos para a população. Passaram pelo palco artistas alagoanos e grupos de renome nacional. Em 2016, as atrações foram Daniela Mercury, Titãs, Jorge Ben Jor, Troco em Bala, Gato Negro, Irina Costa, Afro Mandela, Naná Martins, Xique Baratinho, Big Jones, Vibrações e Favela Soul.


CARNAVAL 2016

A Fundação Municipal de Ação Cultural realizou os festejos carnavalescos nos bairros do Benedito Bentes, Jacintinho, Ponta Grossa, Vergel do Lago, Ipioca, Fernão Velho, Pontal da Barra e Jaraguá, este último como polo alternativo para a inserção de estilos musicais como o rock e o rap na programação. Com isso, a Prefeitura de Maceió garantiu ao maceioense o acesso a uma programação festiva e de qualidade durante a festa mais popular do Brasil. Os polos festivos foram selecionados por meio de chamada pública e organizados pelas próprias comunidades envolvidas.


XANGÔ REZADO ALTO

A quinta edição do projeto Xangô Rezado Alto aconteceu em 2016. A ação marca a luta de lideranças e simpatizantes das comunidades de matriz africana contra a intolerância religiosa em Alagoas e celebra a memória do episódio que ficou conhecido como ‘Quebra de Xangô’ – quando, em 1912, casas de cultos afrorreligiosos de Maceió foram invadidas e destruídas. A celebração reúne integrantes de comunidades de terreiro, artistas, simpatizantes e grupos culturais ligados à temática afro-brasileira. No palco destinado às apresentações, a mostra cultural conta com a participação de grupos como a Orquestra de Tambores, Banda Afro Zumbi, Grupo Iyá Capoeira, Banda Afro Afoxé, Coletivo Afrocaeté e Afoxé Odô Iyá.

AÇÕES CULTURAIS – COMUNIDADES DE MATRIZ AFRICANA

Durante os meses de março, abril, maio, junho, julho e agosto foram realizadas 20 oficinas em escolas públicas de Maceió relacionadas às temáticas de matriz africana, das quais cinco foram de culinária afro, cinco dede corte e costura afro, cinco de empreendedorismo relacionado à culinária afro e cinco de empreendedorismo relacionado à  corte e costura afro. Além disso, aconteceram 10 apresentações de grupos culturais de matriz africana, realizadas após a finalização de cada oficina, nas escolas ou em locais públicos.


MACEIÓ MEU XODÓ NO BENEDITO BENTES

O Espetáculo Maceió Meu Xodó reuniu, em 2015, mais de 400 artistas que cantaram, dançaram e exibiram o melhor da cultura local durante uma grandiosa apresentação realizada no estacionamento do Jaraguá. O evento fez parte da comemoração dos 200 anos da capital e também marcou o início das comemorações pelos 30 anos do Benedito Bentes, celebrados em 2016. A edição especial do espetáculo, que é fruto de uma parceria entre a Fundação Municipal de Ação Cultural e o Ministério da Cultura, foi apresentada no bairro no dia 20 de janeiro.


FESTIVAL DE BUMBA MEU BOI

O tradicional festival é realizado pela Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural. O evento, que chegou na 24ª edição em 2016, acontece em parceria com a Liga dos Grupos de Bumba Meu Boi de Maceió. Nesse ano, o festival contou ainda com apoio cultural do banco Bradesco e da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico e Turismo (Sedetur). Durante duas noites, 12 grupos de bumba meu boi que integram a Série B e mais outros 10 da Série A se apresentaram na arena montada no estacionamento público de Jaraguá. Cada grupo levou ao local aproximadamente 100 integrantes de comunidades como Jacintinho, Ponta da Terra, Jatiúca, Cruz das Almas, Poço, Vale do Reginaldo, Conjunto Joaquim Leão e Conjunto Virgem dos Pobres.


FESTEJOS JUNINOS

Em 2016, a tradição dos festejos juninos de Maceió esteve mantida com o a realização do concurso de quadrilhas Forró e Folia, promovido pela Fundação Municipal de Ação Cultural em parceria com a Organização Arnon de Mello – Tv Gazeta. Durante praticamente todo o mês de junho, grupos de diversos bairros de Maceió e de vários outras cidades do Estado se apresentaram numa estrutura montada no ginásio do Sesi, localizado no Trapiche. A iniciativa envolveu ainda o concurso de coco de roda, uma das principais manifestações culturais de Alagoas.


OCUPE A PRAÇA

Com intuito de ocupar culturalmente praças públicas e centros comunitários distribuídos pelas oito regiões administrativas de Maceió, o projeto ‘Ocupe a Praça’ selecionou 42 grupos e artistas para apresentações e oficinas. Bandas de música, grupos de folguedo, corais, artistas plásticos, grupos de teatro, artistas circenses e grupos de dança, por exemplo, movimentaram até o mês de outubro oito praças, em todas as regiões da cidade, com shows e apresentações artísticas, além de atividades de formação cultural com temáticas selecionadas também a partir de consulta nas próprias comunidades. A ação foi realizada em parceria com o Coletivo Popfuzz, idealizador e produtor do projeto, e contou com recursos do Ministério da Cultura por meio de emenda parlamentar.


MÊS DAS TRADIÇÕES POPULARES

O projeto Ações Culturais Para Maceió, fruto de um convênio entre o Ministério da Cultura e a Fundação Municipal de Ação Cultural, realizou uma programação especial dedicada ao Mês das Tradições Populares, em agosto. O evento aconteceu durante quatro sábados, teve como cenário a Praça Afrânio Jorge, popularmente conhecida como praça da faculdade, e contou com apresentações de cultura popular, música erudita, forró e MPB.

AÇÕES CULTURAIS – OFICINAS PARA CIDADANIA E RENDA

Nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro foram realizadas 11 oficinas culturais específicas para a comunidade da Grota da Alegria, no Benedito Bentes II, para a promoção da cidadania e geração de renda.

EDITAL DAS ARTES – O COCO ALAGOANO “PRA TODOD MUNDO PISAR”

Em 2016, o projeto O Coco Alagoano “Pra Todo Mundo Pisar” realizou apresentações e oficinas de percussão em áreas periféricas da capital. As quatro primeiras edições presentearam com batucada e cantoria as escolas Professor Pedro Teixeira, no Feitosa, e Deraldo Campos, no Vergel. Além desses lugares, o Centro de Cooperação Dom Bosco, no Clima Bom, e a Casa Para Velhice Luiza de Marillac, no Bebedouro, também se transformaram em palco para o evento.

EDITAL DAS ARTES – OFICINA DE FILÉ

Em setembro, o projeto contemplado com o Prêmio Eris Maximiano, lançado em 2015 pela Prefeitura de Maceió, realizou oficina sobre Pontos e Acabamentos com o intuito de promover excelência na produção de Filé.

EDITAL DAS ARTES – NO TACHO DO RIACHO

Em outubro, o projeto promioveu oficinas de desenho, vivências abertas à comunidade, oficinas de bordado, intercâmbio com as Bordadeiras de Capela e exposição de bordados em praça pública de Riacho Doce.


FESTA DAS ÁGUAS

A Festa das Águas, que acontece todos os anos no dia 8 de dezembro, reuniu dezenas de grupos culturais em apresentações na Praça Multieventos, na orla da Pajuçara, com o apoio da Fundação Municipal de Ação Cultural a partir de um convênio com o Ministério da Cultura. O evento é comemorativo ao Dia de Iemanjá, orixá cultuado entre os povos de matriz africana. Nesse ano, a festa chegou a sua nona edição e contou com estrutura de palco, som e iluminação montados para as apresentações de afoxé, grupos de capoeira e outras manifestações culturais.


SAURÊ PALMARES

A edição desse ano do Saurê Palmares envolveu diretamente  mais de mil artistas em sua programação. A programação contou com palestras de afroempreendedorismo no Centro Cultural Arte Pajuçara e shows de grupos de arte e de cultura popular, por exemplo. As apresentações artísticas aconteceram em palco montado exclusivamente para o evento, na praça Deodoro, no Centro de Maceió. Os selecionados foram o Afroafoxé; Afro Mandela; Afoxé Odo Iyá; Orquestra de Tambores de Alagoas; Luiz de Assis e o artista performático mineiro Babilak Bah.  A programação também contou com a “A Rota do Saurê”. Mais de 30 grupos de cultura popular realizaram apresentações simultâneas em 15 tablados montados na área central da cidade. Afoxé Povo de Exu, Boi Águia de Ouro, Maracatu do Grupo de Folguedos e Danças Prof. Pedro Teixeira e Maculelê Yá Capoeira estiveram entre as atrações de cultura popular.


GIRO DOS FOLGUEDOS

O Projeto Giro dos Folguedos, realizado pela Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), promoveu diversas edições durante o ano de 2016 reunindo dezenas de grupos de cultura popular para apresentações públicas em tablados de forma simultânea. O projeto fez parte da programação do Mês das Tradições Populares, em agosto, do Mês da Consciência Negra, em novembro e também integrou os festejos natalinos de Maceió. A última edição do ano aconteceu em 17 de dezembro, no Corredor Vera Arruda e na Praça Afrânio Jorge, conhecida popularmente como Praça da Faculdade.

EDITAL DAS ARTES – JARDIM EM SUSPENSO

Em “Jardim em Suspenso”, Karla Melanias exibe obras realizadas a partir de matéria orgânica, animal ou vegetal, como metáfora das questões humanas relacionadas à existência. “Jardim em Suspenso” tem como conceito principal o renascimento através da arte. Apresenta obras que propõem a reflexão acerca do tempo, questionando a fronteira entre a morte e vida a partir da criação de um universo onírico. Melanias também nos convida a repensar a relação entre o humano e a natureza. A primeira exposição da artista ocorreu no mês de dezembro.


RÉVEILLON

Em Maceió, a virada do ano foi comemorada com show pirotécnico na orla marítima da capital, entre as praias de Pajuçara, Ponta Verde, Jatiúca e Cruz das Almas. Quatro balsas foram utilizadas para lançamentos dos fogos de artifício, além de um ponto fixo nas ruínas do antigo clube Alagoinhas. Seis toneladas de fogos foram garantiram o espetáculo, que durou 12 minutos em sincronia com músicas de artistas alagoanos.

 

bg azul