feed

SUDES

Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável

Rua Cel. Pedro Lima, 69 - Jaraguá;
CEP 57022-220 // Fones: (82) 3312-5380 | Central de Monitoramento Sudes: 0800 082 2600 / (82) 98802-4834 (Whatsapp) | Informações/Agendamento Parques: (82) 98801-3651 / protocolo@sudes.maceio.al.gov.br | Horário de atendimento: segunda a sexta, de 8h às 14h

Maceió contra a dengue tem educação ambiental para ambulantes e turistas

Desenvolvimento Sustentável repassa orientações sobre descarte de resíduos gerados corretamente para evitar a proliferação da doença; ação segue até esta quinta, 21

Embora o mosquito da dengue se reproduza durante todo o ano, é no verão que a incidência dele aumenta. Com foco nisso, as equipes de educação ambiental da Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes) iniciaram uma ação na terça-feira (19), que se estenderá até quinta-feira (21) para orientar ambulantes e visitantes que trabalham e circulam na orla marítima da capital.

Educação ambiental orienta ambulantes que trabalham na orla. Foto: Ascom Sudes
Educação ambiental orienta ambulantes que trabalham na orla. Foto: Ascom Sudes

Nos três dias de atividade, mais de 15 educadores ambientais irão percorrer o calçadão das praias de Pajuçara, Ponta Verde e Jatiúca explicando para os cidadãos como o resíduo gerado a beira-mar pode contribuir para a proliferação do Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. A previsão é que mais de 1.500 pessoas sejam orientadas durante o período da ação.

Descarte correto de resíduos gerados na praia também ajudam a reduzir a dengue. Foto: Ascom Sudes

Diretora de Planejamento e serviços especiais da Sudes, Kedyna Tavares explica que o descarte inadequado contribui para a incidência de casos.

“É comum encontrarmos cocos abertos, garrafas pet, embalagens plásticas e outros materiais, que podem acumular água, descartados pelas pessoas que frequentam a orla. Quando esses itens ficam em locais onde a limpeza urbana não consegue fazer o recolhimento, com certeza viram pontos de proliferação do mosquito da dengue”, disse.

Educação ambiental orienta ambulantes que trabalham na orla. Foto: Ascom Sudes
Cocos abertos, garrafas pet e outros materiais descartados irregularmente podem acumular água. Foto: Ascom Sudes

Claudionor Miranda, comerciante que trabalha na região, lembra que existem diversas papeleiras espalhadas pelo calçadão. “Eu uso muito as lixeiras que a Prefeitura de Maceió instalou na orla e peço aos meus clientes que joguem o lixo no lixo. Assim, a gente preserva esse paraíso que temos para trabalhar e nos divertir e evitamos que a dengue cresça na cidade”, afirmou.

Claudionor Miranda orienta seus clientes a fazerem o descarte correto. Foto: Ascom Sudes

Além das equipes de educação ambiental, participam também os agentes de endemias da Vigilância Sanitária de Maceió (Visa), responsáveis por prevenir e auxiliar no combate às doenças endêmicas. Durante a ação, os agentes estão fazendo a aplicação de inseticidas e larvicidas em possíveis focos do mosquito.

“Fora a orientação, ainda temos a parceria dos agentes de endemias que identificam locais com possibilidade de desenvolver o mosquito e aplicam os larvicidas. É importante a conscientização das pessoas em torno desse assuntos, pois é uma doença séria e não queremos que ela aumente na capital”, completou a diretora.

Alexandre Vieira/Ascom Sudes

bg azul

sudes

art-bg