feed

SMS

Secretaria Municipal de Saúde

Rua Dias Cabral, 569, Centro
CEP 57020-250 // Fone: (82) 3315-5180

Página Inicial

Consultório na Rua

Equipes acolhem pessoas em situação de vulnerabilidade social

Uma equipe multidisciplinar formada por 40 profissionais, entre técnicos de enfermagem, psicólogos, terapeutas ocupacionais, agentes sociais, técnicos em saúde bucal, músicos e artistas, divididos em subgrupos de seis, vão às ruas da cidade diariamente, em diferentes bairros, nos horários da tarde e da noite. Eles são uma espécie de ‘anjos’ que levam um pouco de conforto àqueles que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Estamos falando da turma do Consultório na sala dentro do estacionamento do PAM Salgadinho, ao lado do Centro de Apoio à Vida, o CAV, criada há quatro anos, que hoje tem um cadastro de mais de 700 pessoas que vivem nas ruas de Maceió e que já foram assistidas pelo projeto.

“Esse cadastro é muito maior que a demanda que atendemos nas ruas. Os que registramos são das pessoas que conseguimos encontrar quase sempre, que querem e aceitam assistência. Nosso trabalho respeita a liberdade de quem está em situação de rua e assim quer viver. Mas ao mesmo tempo oferece acolhimento e acompanhamento aos que têm vontade de reequilibrarem suas vidas”, resume a psicóloga do grupo da tarde, Roberta Moreira. “Se encontramos pessoas doentes medicamos, internamos, acompanhamos a evolução dos casos”, complementa.

Proposta

O Consultório na Rua é uma proposta que procura ampliar o acesso da população em vulnerabilidade nas ruas e ofertar, de maneira mais oportuna, atenção integral à saúde, por meio das equipes e serviços da atenção básica. Em Maceió as equipes da tarde saem às 13h30 e retornam às 17h30; o pessoal do turno da noite sai às 18h, retornando às 22h.

Segundo a coordenadora geral das equipes do Consultório na Rua, a enfermeira Jorgina Sales, não há um levantamento ‘perfeito’ do perfil das pessoas que vivem nas ruas. “Encontramos de recém-nascidos a idosos. Pessoas que saíram de casa por conta de violência doméstica, por conta do uso de drogas, para viver da catação de entulho e material reciclável, enfim, há inúmeras situações, casos e casos”, elucida Jorgina.

As equipes visitam os bairros do Vergel, Benedito Bentes, Pajuçara e toda orla urbana da capital, centro, Feitosa, entre outras localidades. “Antes de cada equipe sair fazemos uma reunião que denominamos de pré-campo. Definimos algumas ações, comportamentos, ou comentamos sobre qual o melhor e mais adequado tipo ou forma de assistência a determinados moradores que já conhecemos o perfil”, explica a coordenadora geral.

“Começamos a enxergar essas pessoas que estão em estado de vulnerabilidade social. Gente que antes você passava na rua e não via, tinha medo não queria enxergar. Essas pessoas passam a ser vista por nós (equipe do consultório) como gente igual à gente que precisa de ajuda”, destaca o agente social Fábio Sobral.

Uma vez por mês, no auditório da SMS, os 41 profissionais do Consultório na Rua se reúnem para avaliar as ações, traçar metas, discutir necessidades e novas políticas que podem ser implantadas nas abordagens. A deste mês acontece nesta quarta-feira, 23 de outubro, no auditório do prédio sede da SMS, às 18h. A equipe mantém um blog que pode ser visitado pelos interessados, clicando aqui.

bg azul